Nossa Localização

Localização

ANASTÁCIA

Centro de Terapias Alternativas

Mestre de Reiki

  • Categoria: Textos
  • Publicado em sábado, 05 julho 2008 18:25
  • Escrito por Luís Miguel
  • Visualizações: 8035

Mestre de Reiki

Como Mestre de Reiki, assumi a responsabilidade de ser mais humilde, intuitivo, generosidade de espírito, de forma a mudar consciências.

E assim, escrevo que há um caminho pelo qual podemos nos libertar da doença, da pobreza e das consequências das guerras e das crises económicas. Este caminho consiste na mudança da nossa visão materialística da existência pela compreensão e consciência da espiritualidade da vida. Ao longo dos séculos, a visão materialística do universo e do homem gerou o medo acerca de nós mesmos e de nossas nações. Isto continuará e até mesmo se intensificará à medida que sejam descobertas forças materiais sempre mais destrutivas. Como conseguir o caminho da segurança, da harmonia e da saúde?

Simples, está em obter um certo grau de consciência espiritual. O grande segredo está em que, apesar de crermos o contrário, o poder não está na matéria ou na visão materialista do homem. Aqueles que alcançaram um certo grau de consciência espiritual, comprovam a realidade do Espírito. A necessidade de abandonar a conceção materialística da vida para obtermos a consciência espiritual da vida e de seus desdobramentos, é o segredo de todos os profetas e santos de todos os tempos, assim como os apóstolos de Jesus.

Mas quando o mundo perceber que todo o sucesso obtido em melhorar as condições de saúde, mas principalmente mentais e espirituais, através do Reiki, (O que é o Reiki? Reiki é uma junção de duas palavras japonesas Kei e Ki. Ki é energia vital, vida, força, intenção, ação. Mas para mais fácil entendimento e correta tradução para Português é a aura, ar no sentido geral, que um corpo do ser humano ou animal irradia, calor e energia. Rei designa-se como universal. Ao juntar as duas palavras temos a Energia Universal. Ki é energia de vida que um ser humano ou que um ser vivo produz, existe diversos Ki ou fontes no universo, como ar, água, sol, alimentos que vai modificar o nosso estado de harmonia e fluidez da nossa energia corporal.

O equilíbrio da nossa energia, faz o equilíbrio do nosso organismo, se com más influências universais e um mau funcionamento psíquico e desequilibrado, como pensamentos negativos, atitudes negativas, angustias, pensar sempre no pior dia-a-dia, reflete-se no seu nível físico como um mau estar, até chegar ao ponto de doença. A nossa energia desgastada pode então ser harmonizada através da energia (Ki)(Rei)universal, promovendo o equilíbrio da nossa energia Ki, o que vai aperfeiçoando a nossa melhoria de vida em todos os níveis do nosso ser.

Reiki trata-se de uma terapia que visa direcionar energia através das mãos do terapeuta (reikiano) para área mais necessária, promovendo uma auto-regeneração, começo de um processo de cura. A cura não abrange só o plano físico, mas abrange também o plano emocional, mental e espiritual.

Como reikiano posso afirmar que o objetivo do Reiki, não está tanto na cura física, mas sim atuar nos planos emocionais, mentais e espirituais, pois assim vai impedir manifestações futuras de maus pensamentos, mau estar e por fim, sinais de doença. A energia Reiki, esta disponível, é omnipresente. Contudo a sua utilização está determinada no desenvolvimento da capacidade do “sintonizador” ou seja terapeuta. Pois este terapeuta dependendo do grau ou nível de Reiki que possui, determina como o seu aparelho sintonizador esta desenvolvido. O terapeuta ou reikiano tem de treinar para melhorar o seu canal de forma a obter uma maior qualidade na sua receção.

O Reiki é a transmissão de energia universal amorosa, energia que canalizamos através no nosso corpo sintonizado, de forma a puder passar para os outros, a energia universal de amor, assim as pessoas deixam o seu estado desequilibrado, e ficam em harmonia com universo.) sem ser necessária a renúncia materialista para obtenção da consciência espiritual, poderemos ter novas esperanças.

 

A QUESTÃO É: O QUE PODE O HOMEM FAZER PARA OBTER ESTA CONSCIÊNCIA ESPIRITUAL?

A resposta é: "Ler e estudar as verdades reveladas ao longo dos Tempos sobre a Consciência universal, Alma ou Espírito, sobre a lei universal, mas principalmente experienciar a energia Reiki.

Tenham certeza de que, à medida que, se voltarem para a consciência espiritual, encontrará a paz, e o seu dia-a-dia se tornará mais calmo. O mundo externo vai-se moldar à compreensão interior da Verdade. A pessoa será testemunha de todas estas revelações, na medida em que vivenciar transformações interiores e exteriores.

Assim sendo todos os reikianos, na minha forma de pensar, tem o dever de divulgar o Reiki (universal) a todas as pessoas, de forma a ajudar todos os nossos irmãos, a terem uma vida normal materialista (mas com outros fundamentos, pensamentos sobre bens materiais), mas com consciência universal com poder do reiki, e assim poder viver em harmonia consigo e com o universo, para o bem supremo.

 

COMO AJUDAR A HUMANIDADE?

Tanto os prazeres como as dores do mundo. Não podemos conseguir a evangelização da humanidade pelo poder mental ou pela força física, nem mesmo por uma sessão de Reiki única e esporádica, mas conseguimos unicamente pela visão espiritual da vida, que é cultivada por todos que devotam seus pensamentos á procura da bondade, do bem, da pureza e da luz, e a forma mais rápida, mais funcional, é por em prática os 5 princípios do reiki( A descoberta. Encontrei o que procurava. Após alguns anos à procura de algo que não sabia o quê, através de livros, palestras, sessões espirituais, diversas religiões estudadas e afins, encontrei o que sempre tive como filosofia de vida, que são os princípios fundamentais de Reiki. E tudo começa assim:

 

SÓ POR HOJE

Sim, só por hoje, estranho mas verdade, só por hoje vou viver o dia de hoje e não pensar no passado (que já não existe e não se pode alterar), ou, pensar no futuro (que ainda não aconteceu, logo não existe). Só por hoje vou viver o momento presente e atual, assim aplicamos 5 princípios.

1.      Só por hoje – não me zango,

Quando cultivamos a paz interior os factos externos não nos perturbam, vamos pensar desta forma, se nos zangarmos vamos alterar os factos? traz benefícios? Antes pelo contrário.

2.     Só por hoje – não me preocupo,

Quando nos preocupamos em excesso com algo que não aconteceu, estamos atrair a fonte da preocupação a lei da atração (como livro Segredo). Assim, se sabemos que vamos atrair, façamos o contrário, se eu quero amor, carinho, bem-estar, vou proporcionar aos outros esse amor essa alegria esse bem-estar, e o universo nos trará de volta esse sentimento, desde que o façamos com pureza e amor.

3.      Só por hoje – sou grato,

Devemos ser gratos ao universo por tudo que nos dá. Sim por tudo que nos dá de bom e de menos bom, porque por vezes aquilo que pensamos ser melhor para nós, na verdade pode não ser, algumas vezes não temos inteligência ou discernimento para perceber isso.  Assim acabou-se o coitadinho, que só a mim é que me acontece destas coisas , porque a mim, e por aí fora, chegamos ao ponto de fazer uma viragem, e admitimos o que acontece, acontece, para um desenvolvimento do nosso ser.

4.      Só por hoje – trabalho honestamente,

O nosso trabalho deve ser feito sempre com entrega, com alegria, com a sensação de dever cumprido, não haver fantasmas de consciência, deve ser feito honestamente, mas principalmente deve haver honestidade com nós mesmos.

5.      Só por hoje – amo e respeito todos os seres vivos,

O último dos primeiros, este princípio é fundamental, e o mais difícil de aplicar na nossa vida. 

 

QUEM CONSEGUE VER OS OUTROS SERES VIVOS COMO UMA EXTENSÃO DE NÓS MESMOS?

Tão mal tratamos a mãe natureza, e assim foi em toda a nossa humanidade. Como mudar? Como alterar? Como posso alterar o mundo? Comecemos por o princípio, por nós mesmos. Se começar a  amar de verdade a mim mesmo, começo do principio base. Ninguém consegue amar o próximo se não se ama, temos de nos amar e estar conscientes de quem somos, o que somos, o que procuramos. Ter um conhecimento puro e franco de nós próprios, saber as nossas virtudes, ver os nossos defeitos dessa forma atenuar e mudar. Assim, conseguirmos ver os outros seres vivos como nossa extensão de vida e harmonia.

Tudo o que está no mundo, os prazeres da carne, os prazeres dos olhos, o orgulho, não vem do Criador, vem do próprio mundo. Vamos observar um pouco, nossos pensamentos, nossas ambições e interesses, e vejamos se a nossa mente está voltada para a nossa saúde, para os prazeres dos sentidos ou para os ganhos mundanos. Se constatarmos tais pensamentos mundanos, temos de aprender a afastá-los, pois já não estamos no caminho do aperfeiçoamento das coisas humanas, mas a caminho do bem-estar espiritual.

Temos de praticar o Reiki em nós mesmos, de forma a harmonizar o nosso corpo e mente, e viver em harmonia com universo. Não nos enganemos. Somente aqueles que aprenderam a manter esta relação com Reiki, saboreiam a completa alegria do lar, do companheirismo e dos empreendimentos de sucesso. Somente aqueles que em certo grau se centrarem nesta relação, encontraram segurança, proteção e paz num mundo combalido pela guerra.

O Reiki não nos afasta do nosso meio normal, não nos priva do amor e do companheirismo tão necessários para uma vida plena (Não sei explicar o amor, já muitos escritores e poetas tentaram fazê-lo por palavras, mas é inexplicável. Eu, pobre a nível literário, não sei fazer melhor, sei aquilo que Sinto. Ai sim, tenho a certeza que sim, conheço o amor.

O meu amor é puro. Hoje em dia, parece que ninguém ama de verdade. Já ninguém vive um amor platónico, um amor impossível, quem ama como no livro “amor de perdição”?. Hoje, não se ama se não houver razão, mas se houver razão, as pessoas amam, as pessoas amam porque a outra está mesmo ali ao lado, ou por desejo sexual barato e banal, ou por causa das contas, fica mais barato, o amor hoje tornou-se numa economia, uma economia diferente daquela que as famílias discutiam acordos de venda ou acordos nupciais para pagar dote de casamento.

Mas, meu amor é puro, porque é um amor platónico, um amor cego, é um amor doentio. O único amor que conheço, um amor de coragem, vontade de lutar, amar é ter ousadia de enfrentar o que vier, não é ser comodista nem cobarde, é um amor de verdade. Amar é oito ou oitenta, não pode ser quarenta. É branco ou preto, não pode ser cinzento. Ou se ama ou não, não pode ser “Nim”. Amor é simplesmente amor, é um estado que se sente, não que se escreve, amor é uma verdade, é uma certeza, não é dúvidas ou assim – assim. Paixão é uma ilusão bonita, não faz mal, é uma condição na vida, mas o amor é mais bonito que a vida. Ultrapassa a própria vida, não é uma condição terrestre mas algo que nos transcende. O meu amor foi amor primeira – vista, não acredita? Acredite, pois quem ama como eu, não o pode negar. Logo, no primeiro instante, senti a certeza que ela (Fátima) era o meu amor, a minha alma gémea, aquele amor que ultrapassa qualquer dificuldade, qualquer percalço, qualquer lógica, esse é o meu amor.

 

AMO-TE MEU AMOR

Tive a sorte de poder casar com alguém tão maravilhoso como ser humano, mas especialmente, és quem me completa, és a continuação do meu corpo, não um acessório, fazes parte de mim como eu faço parte de ti, estaremos sempre ligados neste e noutros mundos, porque somos um só).

Ele apenas coloca tudo isto em um nível mais alto, onde não mais dependemos da sorte, das mudanças ou do azar, onde se manifesta o valor do que chamamos de cenário da vida. Quando nos defrontarmos com um problema humano, em vez de nos esforçarmos para melhorar as condições humanas, aceitemos esse facto. Afastemos essa imagem e concentremo-nos na presença do Espírito divino em nós. Esse Espírito dissolve as aparências humanas e revela a harmonia espiritual, ainda que essa harmonia se apresente como uma melhoria de saúde ou de riqueza, porque aquilo que somos por “dentro” transbordamos por “fora”.

Quando Jesus alimentou as multidões, o que apareceu como pão e peixe foi a sua consciência espiritual de abundância. Quando curou os doentes, foi o seu sentimento da Presença Divina que se manifestou como saúde, força e harmonia, essa transparência divina são as leis do universo (estas leis baseiam-se numa filosofia ancestral, em que o universo é composto por determinadas regras em que influenciam o ser humano e a nossa vida. Nós reikianos desenvolvemos uma capacidade de leitura desses sinais a conseguir essas “regras” para resolução de problemas interiores, que o mundo nos trás.

A sorte ou azar passam a ser vistos como acontecimentos, que foram produzidos por nós mesmos (consciente ou inconscientemente) que pedimos ou desejamos. Assim podemos trabalhar as Leis, e passo a enumerar:

 

Lei da atração

Lei da Criação Consciente

Lei da Liberdade Escolha

Lei da Permissão, atraímos aquilo que desejamos, aquilo que pedimos se transforma em realidade, Jesus conhecia as Leis e aplicava com seu pensamento super ativo de acreditar e acontecer, temos de acreditar dessa forma, dessa maneira ativa, e por experiência se dermos as coisas como já adquiridas maior é a energia aplicada mais funcional se transforma, façamos então para o bem da humanidade, e para o bem Supremo.

Esta manifestação traz uma alegria inimaginável, aqui e agora, uma satisfação com a qual nem sonhamos e o amor de todos com quem fazemos contacto dia-a-dia, mesmo daqueles que desconhecem a fonte da nova vida que descobrimos. O homem natural não compreende as coisas do Espírito, que lhe parecem loucura; nem pode compreendê-las porque elas se discernem espiritualmente.

Porque nos enganamos neste ponto! Com quanta frequência tentamos compreender a verdade espiritual com nosso intelecto humano! E isso, leva à confusão mental, pois tentamos compreender assuntos espirituais com nossa mente erudita. Isso não funciona. A verdade não é um processo de raciocínio. A verdade, não está normalmente na esfera do nosso entendimento, e, quando parece estar, deve ser investigada mais profundamente para verificar sua autenticidade.

Para recebermos o sentido espiritual, precisamos mais de sentir que raciocinar. A Bíblia refere a expressão receber a palavra "no coração". Notemos que o desenvolvimento da consciência espiritual redunda em maior capacidade de intuir a harmonia do Ser. Compreendemos que nem a visão, nem o ouvido, o tato, o olfato ou o paladar podem-nos revelar a verdade espiritual ou sua harmonia; por isso tal revelação só pode nos acontecer através de outra faculdade, a intuição, que atua pelo sentimento. A intuição é sempre a mensagem mais verdadeira, pois aquilo que pensarmos a seguir, pode-nos ser induzido em erro pelo nosso pensamento.

Numa cura Reiki, existem várias técnicas a seguir como visualização de cores em certos pontos energéticos ou chacras, mas a intuição leva-nos a entender a necessidade do paciente, estejamos atentos à intuição e transmissão da mensagem. Até no momento meditar, vem de imediato uma enxurrada de palavras e pensamentos. Talvez estivéssemos começando a reafirmar a verdade e a rejeitar o erro. É, porém, evidente que isso ocorre completamente no domínio da mente humana. Ao cultivarmos o Reiki e o sentido espiritual tornamo-nos recetivos aos pensamentos que emanam das profundezas do nosso ser. Mais do que falar a Palavra, tornamo-nos seus ouvintes. Nesse estado, a sintonia com o guia espiritual é tal que sentimos a harmonia do Ser. Transcendidos os cinco sentidos materiais, nossa faculdade intuitiva fica desperta, recetiva e sensível às coisas do Espírito; e após este renascimento espiritual, começamos uma nova existência. Estávamos, até aqui, ocupados com a palavra da Verdade; e daqui em diante nos ocuparemos apenas com o sentir a Verdade.

Agora já não estamos a falar da verdade, mas sim recebendo a verdade, e aquilo que recebemos no silêncio, podemos falar abertamente aos reikianos, porque os que desconhecem a verdade, geralmente fazem tonterias com nossos pensamentos e palavras. O Reiki, é a cura corporal mas funciona principalmente na antecipação dessa cura corporal com a sua atuação a nível espiritual, esse resultado é natural, e vem de uma consciência divinamente iluminada.

Mas para nos tornar reikianos, esta iluminação só nos é dada na medida em que estejamos recetivos e sensíveis a ela. Temos de estar preparados para acontecer, existe o chamamento, mas antes de receberem o chamamento, todos têm uma fase da vida que parece que perderam o direito a rir, a divertir, a gozar os dias. As pessoas vivem em baixo, desmotivadas e tristes, num silêncio fechado, fingem que não é nada com elas, não são elas próprias, são máscaras que colocam. Então têm que aprender a arte do “AGORA” para ultrapassar a crise em que estão mergulhados. A arte de viver mais o momento, para tirar a ansiedade e conseguir tirar aquela confusão da cabeça. E como?

Sempre que se sentirem ansiosos devido ao futuro ou passado, têm de parar e RESPIRAR, inspirava e …………………………. Expirava. A vida dá-nos o presente de presente e ele foge entre os dedos das mãos, vendo o tempo a passar depressa sem observarmos nem aproveitarmos, desperdiçando os preciosos segundos da nossa vida. Estamos sempre a fazer algo, não damos tempo para praticar silêncio e tranquilidade. A quem não aconteceu? Estarmos a trabalhar e a pensar nas férias, quando estamos de férias, estamos angustiados com o trabalho?

Andamos sempre em guerra aberta contra aquilo que nos poderá acontecer. A meditação é um instrumento fundamental para conseguir um maior controlo sobre a mente e assim das nossas vidas. Cria um equilíbrio à nossa harmonia. Até acordar um dia e deixar de FAZER para dedicarmos apenas a SER.

Viver o momento é estar em atenção plena, não deixar a vida passar, é acordarmos para a experiência de VIVER A VIDA. Viver o presente sem juízos de valor. E assim, tornamo-nos mais felizes, porque colocamos em prática atenção plena, e tornamo-nos mais extrovertidos, mais exuberantes, mais e muito mais autoconfiantes. Quem ler este texto e, se sentir infeliz com algo ou situação, experimente, não custa é gratuito, e pode modificar a sua vida. Dê mais atenção às suas experiências imediatas, pense em você, como testemunha no momento, observe o momento. O que está a cheirar? O que vê? O que ouve? Não importa se são agradáveis ou não, deixe-se ir com elas, elas são o presente. E com o presente conheci a Conceição e o Sérgio meus mestres reikianos, foi como um clic dentro de mim, fez me pensar o que somos interiormente? - É a parte do homem pouco conhecida e só raramente percebida. Muitas vezes, aqueles que estão a passar uma profunda aflição rompem a névoa do sentido material até o recesso do seu ser interior, onde descobrem a Realidade do ser. Tornam-se conscientes. Encontram novos valores, novos recursos, uma força nova e diferente e uma maneira de ser totalmente diferente.

Cada vez mais, as pessoas começam a perceber que a libertação do medo (Antes de poder falar da libertação do Medo, temos que compreender que, não é necessário fazer qualquer esforço para ganharmos o amor de Deus, este foi-nos concedido como uma dádiva. Ficamos muito excitados porque julgamos que temos de convencer Deus a amar-nos. Mas Deus já nos ama e aceita. De facto, tudo é dádiva. Não há nada a conquistar. Infelizmente, algures durante o percurso, fomos aliciados e induzidos em erro pela cultura do sucesso. E termos que agradar a Deus. A verdade, é que somos incapazes de entender a aceitação incondicional. Julgamos que deve haver, algures, uma armadilha, e por isso, perdemo-nos no esforço para impressionar Deus, como se nos fosse julgar. Empenhamo-nos e lutamos para ganhar o que já é nosso. E ficamos exaustos.

Quando iniciamos o Reiki, existe a fase de transformação, nessa fase há pessoas com motivação, energia e paixão, que abraçam causas justas e descobrem que esse trabalho lhes fortalece a alma e lhes alimenta a vida, e lutam para um bem supremo. E depois, há pessoas com idêntica motivação, energia e paixão para quem o Reiki se torna destruidor. Não é o Reiki a que se dedicam que é destruidor. Não é a dedicação ou a paixão que é destruidora. Apesar de motivadas pela paixão, os sentimentos fluindo á sua superfície tornam-se por vezes insustentável no momento, e gera-se uma preocupação de justiça profundamente enraizada, no caso dessas pessoas que se esgotam, pensando no futuro e não no presente, não desejando aceitar os acontecimentos e a mudança, são dirigidas por um demónio. Esse demónio, que se esconde atrás do sentido do seu propósito é o medo de não ser capaz. É o medo de não fazer o bastante. E esse temor de não estar à altura corrói a alegria do ser e enfraquece a energia.

Quando o demónio nos domina damo-nos conta que o percurso que nos fazia vibrar, ficar deslumbrantes e maravilhados quando partimos para ele, começa a vaguear por entre brenhas cerradas de tristeza, monotonia, responsabilidades sem sentido, exigências e tarefas. Quando realizadas com amor e alegria, as curas mais banais podem realçar uma visão e transformação positiva da vida. Quando influenciados pelo demónio, os trabalhos mais divertidos podem ter um efeito entorpecedor e de negação da vida. Como exemplo de vida, Sua Santidade Dalai Lama, é a expressão máxima, do que é viver sem o demónio a pesar-nos. Passou mais de 50 anos em fuga na índia, depois da invasão chinesa ao Tibete. Sua Santidade tem todas as razões para ser amargo, triste, rude. Por sua vez, é realmente o oposto, um homem sem remorsos sem ressentimentos, um homem bastante tranquilo e um traquina, por vezes suas atitudes não são próprias de uma santidade (aquilo que a humanidade pensa, como deve de agir uma santidade).

As políticas de reocupação do governo chinês parecem ter por objetivo a erradicação da identidade nacional e da cultura do seu povo. São questões graves, e sua Santidade enfrenta-as com a devida seriedade e atenção. Mas não permitiu que as angústias o dominassem. É capaz de atitudes de criança e de um sentido de humor muito brincalhão. Traz consigo a essência da alegria que é o dom de uma pessoa que não tem nada a provar, porque não precisamos de provar nada, mas sim Ser e Viver cada dia mais e melhor, viver o agora, o momento, de forma a agradar a nós mesmos e aos outros, para realização do bem supremo. Sermos Livres e Felizes, melhor conduta, sem pensar o que dirá o outro, sem pensar nos problemas que virão, sem pensar nos problemas, mas pensar em fazer o melhor para nós e para outros, sem a preocupação, seremos capazes? Será que consigo? Não atrair os demónios que criamos.), insegurança, da necessidade, e da pouca saúde não se encontra no reino da matéria.

Como exemplo refiro, a medicina alivia as dores, mas não traz uma saúde verdadeira. Temos de extrair um poder maior daquele que é encontrado no corpo ou nos pensamentos humanos, que nos dê a felicidade, a harmonia e a paz que são direitos, nossos na nascença. Tal poder está disponível para todos, pois ele já faz parte do nosso ser do nosso mundo que é a energia universal, o Reiki. A força da energia universal é mais real e tangível do que qualquer poder material. Elas trabalham num nível mais elevado de consciência, mas se tornam visíveis nas coisas chamadas de humanas. A energia Reiki age sobre o corpo humano para produzir e manter a saúde e a harmonia. 

As pessoas deste mundo que são conscientes e praticantes dos princípios do Reiki, vivem uma vida interior de paz, de contentamento e domínio, e uma vida exterior em completa harmonia consigo, e com o resto do mundo dos homens, dos animais e das coisas da matéria. Estão sintonizadas como uma unificação com toda a criação. E com esse poder, nos encontramos com o nosso ser, temos consciência do que somos, quem somos, o que queremos. Para quem não tem formação de Reiki, procure na meditação a inspiração para o seu caminho. Quando aprendemos a ficar alguns minutos cada manhã, tarde e noite, sentados em silêncio, e voltamos para dentro de nós mesmos e aprendemos a esperar pela voz silenciosa, adquirimos o hábito da meditação e desenvolvemos a habilidade nesta técnica, ficamos possuídos pela inspiração e que ela nos leva para um nível superior de consciência. Este é o princípio do nosso novo nascimento. E a vida começa a ter um novo significado.

Eu sou a prova viva disso mesmo, quem me conheceu antes e agora, sabe perfeitamente que existe mudanças drásticas na minha pessoa, sempre me considerei uma pessoa de bem, que incutia em mim a bondade, no entanto, nem sempre aquilo que pensamos que somos, somos na realidade. Assim sendo, comecei a praticar, sim praticar aquilo que pensava que era, deixar de pensar que sou para existir. Pois agora existo e transformo aquilo que sou na vida, ou seja, vivo praticando o bem, mas não o pratico na minha mente como anteriormente, experiencio as minhas atitudes, ponho em prática as minhas boas intenções, ações, praticando os princípios do Reiki e suas Lições de vida, como ferramentas que me ajudam a tornar uma pessoa cada dia melhor, para meu Bem e para o Bem supremo, acredito esta é a minha missão de mestre reikiano.

 

 

Comentar


Morada

Rua do Xisto 150 . Maia . Portugal
Tel: 96576 3788 
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Aqui tem acesso à nossa morada e dados de contacto. Após a sua visita online, aguardamos a sua visita presencial.

Newsletter

Inscreva-se na nossa lista de e-mails e será atualizado com as últimas notícias.

Registar na newsletter