Oricha Oyá

Oricha Oyá

Oyá Iansá

Quando se sabe que o oricha que se vai fazer é Oyá, nove dias antes o Jawo, ou seja, o iniciado deve ir nove vezes ao cemitério, e de frente a uma campa tem que limpar com flores de diversas cores. Há de dar de comer a Oyá numa praça com duas galinhas pretas e num poço, esta cerimónia antes de fazer o santo e nove dias antes.

Oyá é o nosso credo, é um dos cinco elementos mais importantes da vida, pois ela á a secretária de Olofi, e por isso, a primeira a saber tudo da vida antes de acontecer, pois é o ar. O que seria deste mundo se não houvesse o ar? Todos termos a necessidade de respirar, as plantas, as pessoas. Dessa forma, nas cerimónias dos mortos se procura uma filha de Oyá para dançar no tambor, por ser ela a morta em pessoa. Oyá é doce e pura, amável e bondosa, quando principalmente existem doentes que ela toma conta, e pode-se pedir saúde e vida longa para todas as pessoas.

No entanto, quando está brava detém os atributos de Oggún e Changó, é tão falsa e má como um furação ou um tornado, está é Oyá. O seu marido é Oggun, a qual abandonou por amor a Changó, quem é o amor da sua vida, ensinou a guerrear Oba, Olokun foi o seu pai e criado por Yemanjá. As suas ferramentas são uma coroa de nove picos, e na parte de trás tem todos os atributos de muitos orichas, uma lança, arma, pala, enxada e uma moca que é a sua arma preferida em guerra, um carrinho de mão, que representa a morte e um “ventuino” que representa a maldade do mundo, uma “centella”, que é uma folha parecida a um trevo de 4 folhas, para quando está brava coloca na boca, pois ela, como Changó se manifesta nesta planta, uma espada e um martelo para finalizar.

Oyá é a oricha do campo, a trança como se limpa das maldades do mundo, chama-se Allaba e esta trança se faz com o pelo de um cavalo e coloca-se num pão forrado com as nove cores de Oyá.

 

Dia da semana: quinta-feira.

Cores dos colares: castanho.

Saudação: Ebesu Oyá Insá que significa “o vento e ar de Oyá Iansá”.

Comidas e frutas: beringelas, uvas vermelhas e pretas, cabeça de porco e rebuçados.

 

Morada

Rua do Xisto, n.º 150 . 4475-509 Maia . Portugal
Tel: 965 763 788
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Horário: De 2.º a Sábado das 10:00h às 19:30h

Livro de Reclamações