Oricha Elegwuá

Oricha Elegwuá

Certa ocasião Olofi padeceu de uma doença misteriosa, que se agravou durante os dias seguintes e impediu de trabalhar. Todos os orichas tentaram aliviar as suas dores, mas as suas técnicas medicinais não conseguiram nenhum resultado prático. O pai de todos os orichas, o criador já não podia levantar-se, pois se encontrava extremamente débil e sem forças.

Apesar dos seus poucos anos Elegwua pediu à sua mãe para levar à casa de Olofi, assegurando-se que conseguia tratar Olofi. Ao chegar a casa de Olofi, tratou de escolher algumas ervas com muito cuidado e preparou uma bebida. Após tomar a bebida com as ervas, Olofi começou a curar-se e a fortalecer-se rapidamente. Olofi ficou muito agradecido e ordenou os restantes orichas maiores que Elegwuá seria a partir de agora o primeiro a receber as oferendas de todos os orichas. Depositou nas mãos de Elegwuá uma chave e disse que seria a partir de agora o dono de todos os caminhos na terra, e desde aquele dia tolerou com uma ilimitada complacência as suas picardias.

Por esta razão, é que este oricha come primeiro, mesmo antes que Obatalá, também foi o único que teve a coragem para dizer a Obatalá o que Oggun fazia a sua mãe. Este abusava da sua mãe quando Obatalá saía de casa, e Oggun chantageava Ochosi e Ozún com a comida, e maltratava Ellegwua deixando sem comida, mas ele mesmo assim contou a Obatalá o que Oggun fazia a Yembó, um dos caminho de Oddua.

Obatalá vigiou Oggun e apanhou em flagrante, e desde esse momento Elegwuá come e tem os privilégios de ser o primeiro em tudo. Elegwuá colocado por de trás da porta de entrada da nossa casa, para cuidar e proteger das pessoas ambiciosas, maldizentes e invejosas. No entanto, o seu nome principal é “Eschu” e são sete os seus nomes, e cada um têm três distintos caminhos, totalizando os vinte e um caminhos do oráculo do Dilloggun.

Os seus nomes são Eschú Anaguí é a mãe de todos os Eschús, Eschú Ocuboro ele é a vida e a morte, Eschú Aracuana está em todas as partes, Eschú Alalliqi que nada sabe como começa e acabam as situações da vida, somente este Eschú, Eschú Larollé que está sempre guerreando e saí as discussões e a dependência. Temos também Eschú Babelle que acaba por resolver tudo a sua maneira, seja bom ou mau, Eschú Odemare que tanto faz mal ou bem, situa-se nas quatro esquinas e sem amigos.

 

Dia da semana: segunda-feira.

Cores dos colares: vermelho, preto, branco.

Saudação: Dodobale Elleguá, que significa “Saúdo Elleguá”.

Comidas e frutas: mel, aguardente, pão, goiaba, coco seco, uva vermelha, laranja, cana-de-açúcar, milho-torrado e rebuçados.

 

 

Morada

Rua do Xisto, n.º 150 . 4475-509 Maia . Portugal
Tel: 965 763 788
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Horário: De 2.º a Sábado das 10:00h às 19:30h

Livro de Reclamações