Rua do Xisto nº 150,
4475-509 Nogueira Maia

(351) 913 089 277
geral@centroanastacia.com

Mulheres em Ocha

|
Escrito por Okanbi / Omo Aggayú

 Mulheres em Ocha

 

Neste artigo desejo fazer compreender aos praticantes da religião Yorubá, sejam de Ifá ou de Ocha o papel da mulher na religião. É conhecido o tratamento dado às mulheres que têm a menstruação, na qual são vedadas determinados rituais. Ainda mais grave, é a proibição em Ifá de ser Babaláwo, por exemplo. Já sabemos que a menstruação é um tema amplamente discutido no “corpus” dos diferentes oráculos mas, o que precisa de saber é que a primeira mulher descrita em Ifá, chama-se Alara, e era uma Apetebi.

 

Apetebi

Começo este artigo reconhecendo na religião os Apetebis, a iniciação da mulher em Ifa e Ocha e de Iyánifá (sacerdote de Ifá). O que seria da religião sem as suas bênçãos? O meu mais profundo respeito e admiração por todas as mulheres. Deixo aqui umas frases em Yorubá sobre a consagração da mulher.

 

santeria ou santaria cubana em portugal

Ìyánifá Iború, Ìyánifá Ibojá, Ìyánifá Ibosisé

Apetebi Iború, Apetebi Ibojá, Apetebi Ibosisé

Gbogbo obini Iború, Gbogbo obini Ibojá, Gbogbo obini Ibosisé

 

Vou abordar este tema de uma forma prática e simples, de forma a interpretar corretamente a religião. Tenho visto muitos desgostos e confusões entre os iniciados nas tradições Yourubás. Vou explicar que uma mulher pode-se tornar Apetebi de Orúnmila quando recebe o seu Ekofá. Essa cerimónia de Ifá dura três dias e nasce no Oddú Odi Melli (Oddú Irozo em Ocha), onde afirma-se que a primeira mulher (Orichá) a ser consagrada em Ekofá foi Ochún (Osun). Também se sabe, que as mulheres podem ser consagradas, como Iyánifá (sacerdote de Ifá), onde é preparado apenas para a mãe e a esposa do sacerdote de Ifá. Neste ponto é onde começa a confusão, uma coisa é ser Ìyánifá e outra é fazer Ifá para as mulheres.

É importante salientar que hoje em dia dizem que as mulheres, não podem fazer Ifá porque elas não podem olhar para Odù, não confundam com Oddú (caminho). No Oddú Irete (em Ocha, é Merinlá) é explicado claramente, que para um sacerdote de Ifá ser consagrado, deve ser feito na presença de Odù (é uma força da natureza e é associada à iniciação de Ifá). Também, refere-se à única condição imposta, para se tornar esposa de Orúnmìlà, que as suas esposas não lhe podem olhar na cara. Nesse mesmo Oddú, continuou com a referência "Se qualquer mulher ou inimigo se atreve a olhar para mim, com o meu poder, Aragamago (é o nome da ave que pertence a este Odù) eu vou tirar os olhos, de quem olhou". Então Orúnmilà prometeu a Odù que ele honraria as suas regras.

Sendo assim, a mulher pode e deve ser consagrada como os homens, havendo somente a proibição de olhar o Odú. Dentro da religião, mulheres e homens desempenham um papel muito importante, mas os papéis para cada um são bem definidos. É importante, lembrar que as mulheres desempenham um papel significativo na música, pois, são as protagonistas de muitos dos repertórios dos Yorùbás, em particular os relacionados com Òrúnmìlá. Esses grupos de mulheres são geralmente acompanhados por instrumentistas masculinos. Outras vezes, são apenas as mulheres que fazem esses rituais. O Apetebi desempenha um papel ativo na organização de muitos rituais Iorubá. Mas, quanto à interpretação de alguns sacerdotes em Ifá, elas deviam desempenhar apenas um papel passivo. Não é proibido à mulher em período menstrual, consultar o oráculo ou ainda ser um sacerdote de Ocha, Ifá ou mesmo Babaláwo. As proibições na religião são de alguma forma restritivas tanto aos homens como as mulheres, por exemplo, as mulheres não podem usar nenhum dos oráculos de adivinhação de Orúnmìlà (opèlé ou ikin), e da mesma forma, o Awo (homem) tem como tabu o uso do dillinlógún (oráculo de Ocha) sendo de Ifá.

Outro exemplo, que vem de Ifá, é que nunca pode olhar para Odù ou Olófin, ou até mesmo entrar no recinto onde o Babálawo o mantém guardado. Peço às mulheres da religião que não deixem pessoas vigaristas, e da nova era, confundirem e dizerem algo que é falso e erradamente interpretado. Como sabe a interpretação dos Oddús, é muito parecido aos textos bíblicos, que são escritos de uma forma a poder haver duas ou mais interpretações, por isso fonte de muitas guerras e divergências.

Uma mulher pode vir a saber que ela está destinada a ser Apetebi Iyánifá, três dias após o seu nascimento, quando a cerimónia é realizada. Se assim for revelado por Ifá, que ela se deve casar com um Babalawo, então indica que vai ter uma vida confortável, sem problemas e por muito tempo, assim como muitas crianças. Caso contrário, os problemas permanecerão sem solução. Tudo isso tem a ver com o destino de cada pessoa no céu. Ifá é uma testemunha do destino, que conhece o apoio de cada pessoa na terra e é muito difícil ir contra o destino de Ìpin (testemunha da criação do mundo). Ifá está lá para corrigir todos os erros na vida das pessoas. Ele vai ajudá-los e protegê-los para que as pessoas possam alcançar tudo o que querem. Uma passagem de Ifá diz o seguinte:

“O abutre não é um pássaro para apaziguar Ifá, nem a águia é um pássaro para acalmar Ope. Apenas Osin um belo pássaro é levado para apaziguar o Ikin. A adivinhação de Ifá foi feita para Asoso, que foi dito para ficar em casa e adorar Ifá. Ele disse que não poderia ficar em casa e adorar Ifá. A morte o matou, e o levou para o céu.”

A adivinhação de Ifá também foi feita para Woso Woso. Foi-lhe dito que ele tinha que ficar em casa e aprender a adoração de Ope. Mais uma vez não obedeceu a Ifá e à morte, o levou para Ara Onó (céu) e colocou a porta do céu. Awokonikunyungba é o verdadeiro descendente de Agbonniregun.

 

Awokonikunyungba

“Ninguém que fica com Ikin morre imaturo, e quem fica perto do Ikin tem tudo.” Este verso de Ifá expressa o ponto de vista de algumas pessoas que perdem as suas vidas, devido à recusa em fazer o que devem fazer, para que permaneçam vivas mais tempo. Eles acreditam no que devem fazer para prolongar a sua permanência, e acredita-se também que aqueles que ficam perto de Ikin, podem ter tudo o que querem na vida. O Iyánifá, Apetebi Ayafa ou Agbeyegbe tem múltiplas funções que são:

 

• É responsável, juntamente com o Awo, pela limpeza de Ifá, já que esta tarefa é entre os dois para unir os fatores masculino-feminino.

• É responsável por recolher as ovelhas e colocá-las no tapete.

• Ela é responsável por ter Òrúnmìlà no seu lugar de acordo com a cerimónia. A mulher é a única vez que traz Òrúnmìlà antes do Awo (marido). Lembre-se que sempre que a mulher é consultada, Ekofá deve usar saya para que o Babálawo possa fazer o que se refere à entrega dos ibos (igbos). Com o saya, ela levará os ikines ao Babálawo, que estará sentado, e ela é quem dança quando a cerimónia termina.

• É responsável por preparar o Ire (sorte), porque a mulher é a criação e dá a vida.

• É responsável pela iniciação dos afilhados do seu marido o Awo.

• Ela é a secretária absoluta do Babálawo.

• Ofereça o Omi Tutu e Obi Agbon a Òrunmìlà junto com o Babálawo, na ausência de outro Awoses.

• É aquele que assiste pessoalmente os Adimus, limpando os objetos de Ifá, etc.

• Aproveite todos os benefícios do Babálawo, uma parte muito importante.

• Assim, para cada Babálawo, haverá um Apetebi Iyánifá, apenas um.

 

Ifá em Oyekú Méjì (Eyioko em Ocha) foi dito:

“Uma esposa é o suficiente. Quando eles aumentam para duas, elas ficam com ciúmes. Quando eles aumentam para três, a casa desfaz-se. Quando aumenta para quatro, elas riem de si mesmas. Quando aumenta para cinco, elas acusam umas as outras, para destruir a propriedade do marido. Quando eles aumentam para seis, elas tornam-se perversas. Quando eles aumentam para sete, elas tornam-se aje. Quando aumenta para oito, eles acusam cada mulher de ser a mãe daquele com a cabeça grande, aquele que começa com problemas. Quando aumentam para nove, dizem que essa mulher limpou a fazenda do nosso marido. Quando aumenta para dez, dizem que todo o dia as mulheres visitam o marido.” Ifá nos ensina que o casamento é muito importante na nossa tradição, daí a sua bênção:

 

Èjèèjì ni mo gbè. N ò gbènìkan soso mó.

Tradução: “Eu vou abençoar e apoiar aqueles que estão em pares. Eu não apoiarei ninguém que permaneça sozinho.”



Okanbi

Com a bênção dos meus Orichas, Aggayú e Yemanjá.

Para qualquer outra questão sobre este texto, pode-nos escrever para o correio eletrónico e darei mais explicações ou retirarei dúvidas.

 

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Categoria: