Rua do Xisto nº 150,
4475-509 Nogueira Maia

(351) 913 089 277
geral@centroanastacia.com

Há pessoas especiais que não precisam de ser iniciadas?

|
Escrito por Okanbi / Omo Aggayú

 pessoas especiais na religião

 

Tenho tido pessoas que perguntam-me que lhes foi dito que precisavam de fazer Kariocha (fazer Santo) mas por serem especiais não precisavam de passar por determinadas cerimónias. Quero-vos dizer claramente que tal coisa não existe na Santeria, Candomblé ou Umbanda pois caso fosse assim essa pessoa NUNCA precisaria de ser consultada por um Oloricha ou Babalawo pois possuía a sabedoria de Olorun (Deus). Precisamos de aclarar algo nas mentes confusas dessas pessoas que se dizem “especiais” e escolhidas por Deus por terem este ou outros “dons”.

Todos os seres humanos possuem “dons” inatos escondidos e durante a nossa vida eles podem de alguma forma precisarem de serem ativados. Isto, quer dizer que uma pessoa no percurso da vida tendo por exemplo uma intuição muito apurada, e conseguindo acertar e prever acontecimentos na sua vida e dos outros, não tem obrigatoriamente de ser especial e ficar desde já isento de fazer determinadas cerimónias.santeria ou santaria cubana em portugal

Tendo ouvido falar por parte dessas pessoas que lhes foi dito, que estavam destinadas a ajudarem os outros e por terem na sua família ancestrais falecidos que tinham tido em vida obrigações espirituais que teriam ou não cumprido, seriam eles atualmente a reclamarem essas heranças. E como já as tinham não precisavam passar pelas iniciações e cerimónias atuais. Quero dizer, mais uma vez, que não é verdade o que lhes disseram, pois a iniciação e cerimónias são sempre fundamentais para que se restabeleça a ligação entre o corpo humano e os nossos ancestrais, de forma a poder haver essa comunicação. É para isso que as cerimónias são fundamentais e necessárias como forma de pagamento, instrução e ligação ao mundo Ara Onu (céus).

Tudo na vida precisa de ser “relembrado” e consegue-se isso através de diversos rituais na Santeria. Eu, mesmo, apesar de me sentir que o que me ensinavam não era estranho e consegui em muito pouco tempo aprender como se fosse algo já natural em mim, tive necessariamente que passar por todos os rituais impostos na Santeria. Nesses rituais sendo considerado “especial” foi necessário reaprender, relembrar aquilo que outrora o meu espírito foi, uma espécie de memória adormecida que acaba por despertar e ficamos claramente atentos aos verdadeiros sinais dados pelos céus e as suas divindades. 

Sendo assim, cabe-me informar que “especiais” somos todos, e que nesta vida estamos cá para retificar e corrigir a nossa rota e assim estamos todos no mesmo patamar de evolução. Pensarem que não precisam de passar pelas cerimónias de Karioscha ou outras cerimónias, será à partida uma prepotência e arrogância que o ser humano possui, julgar ser melhor que os restantes. Se pensa assim, não terá as qualidades natas de um líder espiritual que são a igualdade, a compreensão e a humilde. Por parte de quem lhes disse que era assim, das duas, uma, ou são ignorantes e precisam desde já aprenderem mais ou falsificadores e burlões de forma a conseguirem dinheiro de forma rápida e sem muito trabalho.

Assim termino esta clarificação de quem precisa ou não das cerimónias e nesta vida não se esqueçam que toda a sabedoria está, e estará partilhada por todas as religiões e seres humanos deste planeta e não concentrada em alguns e “especiais”. 

 

 

Okanbi

Com a bênção do meu Pai Aggayú e Yemanjá

 

Para qualquer outra questão sobre este texto, pode-nos escrever para o nosso correio eletrónico e darei mais explicações ou retirarei dúvidas.

 

 

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Categoria: