Rua do Xisto nº 150,
4475-509 Nogueira Maia

(351) 913 089 277
geral@centroanastacia.com

Regras de quem deseja ser iniciado

|
Escrito por Okanbi / Omo Aggayú
Regras de quem deseja ser iniciado

Orichas - Ikú Lobi Ocha

FUNDAMENTOS DA RELIGIÃO

Neste texto que a seguir apresento, mostro algumas das tarefas e obrigações de alguém que deseja entrar na Santeria Cubana, principalmente na Regra Osha e que não tenha uma ideia firme sobre esta religião. As regras aqui expostas não fazem prevalecer sobre nenhuma outra que exista, pois, cada casa de santo terá as suas regras e condutas próprias. Não é minha intenção mostrar todas elas, mas sim mostrar aquelas que considero as fundamentais para um bom entendimento da pessoa que deseja entrar nesta religião. 

Estas normas devem seguir e ser ajustadas à conduta, tarefas ou atividades para atingir um objetivo. Este conjunto de regras são de grande importância porque pretendem preparar o Iyawó ou iniciado no cumprimento estrito das regras e do seu Itá, para que alcance a sua harmonia e o equilíbrio na sua existência no plano terreno da vida. Serve também para desenvolver a disciplina, para que alcance, hábitos sáudaveis para conduzir o seu comportamento, para que aprenda a governar a sua maneira de ser, para que conheça através de estes princípios fundamentais de Ocha.

MUITO IMPORTANTE:

O Iyawó deve saber que a iniciação tem uma importância extraordinária, e que significa nascer de novo noutra forma de vida, de onde ele adquire uma nova perspetiva da realidade, devido aos novos conhecimentos, poderes e capacidades que irá adquirir. Isso acontece como consequência da sua estreita vinculação ao sistema oracular, com o anjo da guarda e com as mais distintas consagrações, cerimónias e rituais que se enfrenta. A etapa de Iyawó é de um ano de limpeza e sacrifícios.

 

1 - Yawo durante o seu primeiro ano está proibido pelas regras do santo das seguintes coisas: 

a) Durante os primeiros três meses não pode ter a cabeça descoberta.

b) Durante os primeiros três meses não pode comer na mesa, só sobre a sua esteira e no solo.

c) Não pode estar depois das 18:00h da tarde na rua.

d) Não pode manter relações sexuais depois dos 6 dias de fazer o Santo.

e) Não se permite que aperte a mão a ninguém durante um ano.

f) Não se pode alimentar senão na sua esteira durante os 3 meses iniciais.

g) Deve atirar-se (saudar) no chão diante de todos os Santeiros maiores.

h) Deve comer com o seu prato, colher e beber no seu copo.

i) Não é permitido que se toque na sua cabeça.

J) Não pode passear ou andar em grupos, nem estar em lugares públicos, onde haja muitas pessoas.

k) Evitar não molhar a cabeça com chuva e com a neblina.

l) Reger-se pelo seu Itá ao pé da sua letra.

m) Cumprir com a visita aos Santeiros que foram ao seu santo, acompanhado pela sua yibbona.

n) Cumprir a visita aos seus Padrinhos uma vez por mês.

o) Não pode estar ou assistir a toques, se não está diante do tambor.

p) Quando vai cumprir os 3 meses de santo tem que apresentar um prato, coco, velas e os direitos acordados pelo padrinho para a cerimónia dos seus 3 meses.

q) Se o Iyawo faz o ebbometa o direito é acordado com o Padrinho.

r) Depois da cerimónia dos 3 meses, onde se entrega ao Iyawo a mesa, tira-se à mulher o turbante e o xaile, e no caso do homem, tirar-se o gorro. Depois desta cerimónia, o Iyawo fica livre destes atributos até ao ano, podendo usá-los em cerimónias religiosas dentro do mesmo. Um Iyawo não se atira (sauda) a outro Iyawo ainda que seja maior, nem deposita dinheiro na chávena de direitos do santo. Tudo isto é para depois do ano. Deve saber que depois o Santeiro menor deverá sempre saudar o Santeiro maior.

  

2 - Quando o Iyawo vai cumprir o seu ano tem que apresentar o prato, coco, velas e um direito diante do Santo dos seus maiores, para que os seus padrinhos possam assistir aos seus cumprimentos. A rogação de cabeça e o coco ao santo pertence a sua Yibbona, à qual cobra um direito por esta cerimónia.

 

3 - Depois do ano, quando deixa de ser Iyawo pelo qual é chamado o Santeiro, deve seguir guiando-se pelo seu itamalé por toda a sua vida.

 

4 - Caso o Santeiro tenha que receber santos marcados por itamalé, deve ser da mão do seu padrinho.

 

5 - Quando um Santeiro faz a entrega de santos pela primeira vez, os diretos do mesmo pertencem ao padrinho para poder entregá-lo ao santo, tal como, os búzios do mesmo. Se o padrinho é falecido tem que ter um representante religioso que lho possa entregar.

 

6 - Quando se cumpre o primeiro ano de santo, o dinheiro que se levanta no prato pertence ao santo do padrinho, como um ramo de flores do trono e algumas frutas, tudo isto leva-se ao outro dia do cumprimento dos anos.

 

7 - Por lei, o santo do padrinho deve ser notificado de todos os passos do afilhado dentro da Regra de Ocha, para que o santo do seu padrinho de onde nasceu o possa cobrir com o seu manto. Se não for desta maneira, o padrinho e o santo não podem ser responsáveis de nada.

 

8 - Quando um Santeiro faz um santo pela primeira vez, os direitos pertencem-lhe ao yibboneo do seu padrinho, e o segundo à sua yibbona.

 

9 - O padrinho dá conselhos sempre baseados no ensinamento do santo, pois, é o Santo na realidade quem guia os seus filhos. Nunca a palavra do santo se põem em dúvida, pois, não escutar pode custar até a morte. Quando um religioso não obedece, é melhor que não conte com o santo.

 

10 - Por regra de Ocha os padrinhos chamam a um sacerdote Oriaté ou Obba, quando tem todos os santos do panteão e conhece as cerimónias de entrega, é ele o encarregado de transmitir através dos búzios a palavra do santo.

 

11 - Somente o Oriaté ou Obba tem a autoridade para guiar as cerimónias da regra de Ocha, são eles os encarregados de consagrar santos e fazer um itamale e guiar cerimónias de santos de adimú como Olokun, guerreiros, santos lavados e outros.

 

12 - Tudo o que tem a haver com a regra de Ocha pertence somente aos Santeiros, e se é necessário um Babalawo (sacerdote de ifá) o próprio santo o orientará.

 

13 - Quando um Iyawo ou Santeiro tem problemas com o seu padrinho por faltas ou pelo itá, e chega-se a um acordo de separar-se da pessoa (e nunca do Santo) a yibbona passará a ocupar esse lugar.

 

14 - A pessoa ainda que esteja separada do seu maior tem a obrigação de ir ao pé do santo duas vezes por ano, no dia de aniversário do santo do Padrinho e do anjo da guarda, e nesse dia o Padrinho não poderá fechar a porta da sua casa nem mesmo aos inimigos.

 

15 - Quando pára alguém diante do santo para perguntar se é bem aceite nesta casa e a letra do coco é Ocana não se retifica, e a partir de esse momento a pessoa tem que procurar outro padrinho ou madrinha. 

 

16 - Pelas regras de santo, um Santeiro pode preparar um iniciado nos colares, guerreiros, Olokun e santos de adimú sem apresentá-lo diante do santo como afilhado de fundamento, e dessa maneira a pessoa tem tempo de conhecer melhor quem vai ser o seu padrinho, pois, esta relação de padrinhos e afilhados deve ser para toda a vida.

 

17 - Para atender uma pessoa, não é obrigado a ser afilhado da casa. Por esse motivo, não se deve pensar que ser o padrinho da pessoa, tem todo o direto de decidir com quem quer fazer consagrações. Por isso, se não está preparado para enfrentar estes problemas não trate de arranjar pessoas e assim não terá desilusões religiosas. São os afilhados que escolhem os padrinhos, e é o santo quem escolhe os seus filhos.

 

18 - O padrinho dentro da casa tem a obrigação de ensinar a lei aos iniciados para que depois não cumpram outra. Se não for desta maneira, por conveniência própria terá que enfrentar a lei da casa e reconhecer o seu erro, caso contrário o maior tomará as decisões.

 

19 - Se não quer passar por isto, tenha essas pessoas fora do alcance, não mostre a sua religião, nem a sua casa de santo.

 

20 - Entrega-se, somente o quarto de santo ao iniciado depois de ter feito o ebbometa, por norma é cumprido depois dos três meses, ainda que haja casas de santo que só entregam depois de um ano.

 

21 - Um Santeiro ganha os primeiros direitos quando lhe é entregue o quarto de santo. Este deve-se ajoelhar diante dos seus maiores e apresentar os direitos, aos mesmos. Devem dizer bem para retirar a maldição que tem o dinheiro em ofún o megua (10), signo do búzio. Depois esse dinheiro é colocado sobre o seu santo e podem usar com fins religiosos ou propósitos, em que o Santo divide com os filhos as suas riquezas.

 

22 - Todos os anos o Santeiro pode dar aves ao seu santo para o aniversário, e se quer dar animais de quatro patas deve perguntar ao santo pois, sempre que necessita de um animal de quatro patas pode resolver grandes problemas na sua vida de religioso, e o Santo pode servir-se quando queira ou entenda.

 

23 - Nenhum Santeiro que não tenha faca está autorizado a matar sobre o santo, por esse motivo os direitos são guardados pelo Oríate ou Obbá.

 

24 - A matança do santo não é secreta e as pessoas que não tem consagração, podem participar ajudando a aguentar os animais e limpar.

 

25 - Os Osainistas (encarregados de levantar as ervas de santo) necessariamente têm que ter santo consagrado e conhecer bem as ervas utilizadas na consagração.

 

26 - Dentro da regra de Ocha, não se utilizam os santos nem os mortos para atemorizar as pessoas e conseguir lucros para fins próprios. Esta é uma religião de fé e amor. As pessoas fazem o que sentem e podem ao santo toda a vida, pois, quando se entra não sai nunca mais.

 

27 - O Santo como o espírito tem a faculdade de criticar os seus filhos e dizer-lhes verdades sem ofender, mais é um dom que só eles têm, por isso os filhos nunca se devem sentirem ofendidos e devem agradecer sempre o conselho.

 

28 - Quando uma pessoa tem um fluido de uma entidade, seja o santo ou um espírito nunca deve burlar os outros, pois, se isto acontecer poderá passar muito mal, então é melhor respeitar para que não tenha problemas. 

 

29 - Dentro da regra de Ocha dá-se o fenómeno da consciência, a semi-inconsciência e da inconsciência. Estes três fatores podem dar-se dentro do espiritismo, e não do santo, pois, o santo irradia sem vir, ao qual se chama de barulho, ou vem ao qual se chama de possessão ou “monta o filho”. A partir desse momento o único responsável de tudo, é o santo que está dentro da cerimónia que está a ser realizar.

 

30 - Quando um Santeiro morre, faz-se a cerimónia do Ituto onde se determina os santos que vão com o eggún e os que ficam, somente ficam os santos em obara (6) que ficam com a família, e as pedras em oché (5) ficam com a família de sangue.

 

31 - Quando morre o padrinho faz-se o luto durante 3 meses, quando morre a yibona ou um afilhado faz-se o luto durante 9 dias.    

 

32 - O luto consiste em não fazer nada religioso durante esse tempo com os santos, e devem mesmo permanecer em repouso por esse tempo e cobertos com lençóis.

 

33 - É um dever do afilhado, mesmo que tenha passado o tempo Iyawo a saudar diante do seu padrinho cada vez que o veja, pois, não só saúda o padrinho na verdade, como esta saudando o anjo da guarda.

 

34 - É  importante deixar bem claro, que em caso de queda da saúde é o santo e não o padrinho, e se o santo autoriza uma pessoa consagrada na regra de Ocha, estando doente de qualquer padecimento pode fazer o que deseja, e é somente o santo que tem a autoridade de proibir um filho de não fazer mais santos pela sua saúde e marca-se numa letra do búzio que se chama 5-5 (ochemeyi). Faz-se somente a proibição numa comida do santo de cabeça, com animais de quatro patas ou num lançamento de búzios que pela pessoa o santo traga-lhe osogbo. 

 

É importante conhecer as pessoas que chegam ao santo sabendo qual o motivo principal, pois, o santo é o que dá a vida e a saúde. Como também é um erro, crer que faz-se santo com as pessoas que estão bem economicamente para que lhes transmita sorte. O Aché traz a pessoa consigo, pois os africanos só tem o seu santo e a sua fé.

 

Okanbi

Com a bênção do meu Pai Aggayú e Yemanjá

Para qualquer outra questão sobre este texto, pode-nos escrever para o nosso correio eletrónico e darei mais explicações ou retirarei dúvidas.

 
 

Comentários   

#2 Omo Okanbi 18-12-2017 09:47
Bom dia Sr. Faustino.
Não conheço na região norte Santeiros ou Olorichas da Santaria Cubana, além da nossa casa. A grande parte dos pais de santos são da Umbanda e Candomblé. Sendo assim infelizmente não o poderei ajudar.
Citar
#1 Faustino 16-12-2017 23:29
Olá Boa noite, Muito interessante toda a explicação sobre Santaria,
Peco-lhe por favor se me pode informar sobre um Santeiro sério e competente, se possivel que seja pessoa idosa, no distrito de Viana do Castelo, infelizmente não posso ir ao Porto.
Muito obrigado pelo seu tempo e atenção.
Citar

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Categoria: