Oloricha Okanbi

Oloricha Okanbi

Okanbi

Chamo-me Okanbi, o meu nome de Santo, e desde a minha infância, o gosto e a admiração sobre o mundo espiritual sempre foi admirável, em parte por nascer num país que cultivava e admirava o culto do mundo dos espíritos e do além. Em 2001, foi o início do meu primeiro passo no mundo esotérico, começando a trabalhar com as cartas do Tarot, e desde aí tenho-me dedicado de alma e coração a uma arte esotérica tão apaixonante.

Nesta caminhada acabei por fazer o curso de Reiki chegando a mestre Reikiano durante o ano de 2003, que me abriu novos horizontes e uma perspetiva sobre mim completamente nova, da qual exerço como profissão. Para mim o Reiki foi como se tivesse despertado para uma nova realidade, e no percurso desta evolução agarrei com uma fé invulgar a Santeria Cubana, algo que me apaixonava desde 2004, e procurava em Portugal saber mais sobre esta religião. No ano de 2006, acabei por deslocar-me a Venezuela, onde fui coroado Oloricha pelo meu Padrinho Obaodun (João Carlos Pombo) e a minha Madrinha Ikú Diero, que daqui deixo o meu muito obrigado desde já, pela oportunidade dada e pela vossa hospitalidade. O meu nome nesta religião é Okanbi que significa "Coração de Algallú", e tenho coroado Algallú direto na minha Eleri (cabeça). 

Desde a minha coroação a minha vida mudou completamente e todas as respostas que tenho procurado, acabaram por chegar. Foi como tivesse nascido “novamente” e isto fez-me mudar para melhor todos os meus conceitos espirituais e mentais. Exerço a minha atividade como Santeiro, de forma a explicar e sensibilizar o povo português do que é a Santeria Afro-cubana. Aqui termino a minha apresentação e espero que quando visitar este espaço “web” entenda o que é a Santeria Cubana.

 

Atté.

Okanbi / Omo Algallú 

 

Quem era Okanbi no povo Yorubá?

A sudeste da atual Nigéria constituíra-se o poderoso e dinâmico grupo Ibo. Possuía uma estrutura ultrademocrática que favorecia a iniciativa individual. A unidade político-social era a aldeia. No sudoeste, desenvolveram-se os principados Yorubás e aparentados, entre os séculos VI e XI, tinham as suas crenças mergulhadas na mitologia dos deuses e semideuses. O grande passado de estes príncipes, é Odudua.  

Seria ele próprio filho de Olodumaré, que para muitos seria, o Nimrod de que fala a Bíblia, ou segundo a piedosa tradição islâmica, de Lamurudu o rei de Meca. O seu filho Okanbi, teria tido sete filhos que foram todos “cabeças coroadas”, a reinar em Owu, Sabé, Popo, Benin, Olé, Ketu e Oyó. Alafin é título de nobreza, criado para aquele que governa o Palácio de Oyó. O referido título foi criado por Oranian, que homenageou o pai, Okanbi, como o 1° Alafin de Oyó. Logo, o 1° Alafin foi Okanbi, o, 2° Oranian, o, 3° Ajaká e o 4° Shangó/Xangô (1450 a.c. a 1403 a.c.).

A primeira cidade fundada após Ilê-Ifé (fundada por Odùdúwa), Oyó (Nigéria), criada por Oranian, foi transformada num grande império yorubá-nagô pelas mãos de Changó. Também existe a denominação, povo oyó, assim como outras especificações para povos africanos. Com Okanbi, começa a epopeia dos heróis Yorubanos, pois entre os seus sete filhos aparece Oranian, cujo papel de implantação definitiva da cultura yorubana é imparável.

Independentemente de ter tentado continuar a missão do seu avô ODUDUWA na sua Guerra Santa contra os descendentes de Ismael, transformou-se na maior figura dessa cultura, a tal ponto que é o mais famoso dos 7 filhos de Okanbi.

 

Cronologia

  • OKANBI - 1° Alafin de Oyó, 1700 a 1600 a.c.
  • ORANIAN - 2° Alafin de Oyó, 1600 a 1500 a.c.
  • AJAKÁ - 3° Alafin de Oyó, 1500 a 1450 a.c.
  • SANGÔ - 4° Alafin de Oyó, 1450 a 1403 a.c.
  • JAKÁ - 5° Alafin de Oyó, 1403 a 1370 a.c.

 

Por volta do século XII, Ifé era uma cidade-estado cujo soberano o Oni, era reconhecido como chefe religioso pelas outras cidades iorubás. Ifé, foi o lugar a partir de onde as terras se teriam espalhado sobre as águas originais para, segundo a tradição, fazerem nascer o mundo. Os iorubás foram expulsos da antiga Oyó pelos Nupês (Tapas) estabelecendo-se no que é a Oyó de hoje. A partir do século XVI o poder da cidade-Estado de Oyó cresce até unificar todas as cidades-Estado iorubá. 

 

Alafia Agbures.

Omo Okanbi.

 

Morada

Rua do Xisto, n.º 150 . 4475-509 Maia . Portugal
Tel: 965 763 788
Email: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Horário: De 2.º a Sábado das 10:00h às 19:30h

Livro de Reclamações