Como processa uma consulta de Búzios

|
Escrito por Okanbi / Omo Aggayú

 consulta de búzios


contacto telefónico da anastacia Faça a marcação pelo contacto telefónico 965763788


São os búzios que dão soluções aos problemas do consultante, através de banhos de limpeza, oferendas ou ebbós (harmonização corporal de energia negativa). O Santeiro, também conhecido como Pai de Santo no Brasil, interpreta a leitura de búzios e deve estar de corpo limpo, purificado com banhos, abster-se de carnes e bebidas alcoólicas, assim como de relações sexuais. Desta forma vai estar apto a comunicar com os Orichás e assim, melhor interpretar e traduzir os conselhos aos seus filhos e pessoas que procuram o socorro.

 

FINALIDADE DO JOGO DE BÚZIOS

santeria ou santaria cubana em portugal

O Dillogun é uma leitura divinatória e esotérica por excelência, utilizado como consulta, que tem por finalidade identificar o nosso Orichá (ORÍ, cabeça física e astral) + (IXÁ, guardião, ou seja, anjo de guarda) e os problemas no plano espiritual ou material. Portanto, de uma forma definitiva, ninguém "fala" ao nosso ouvido, nem Ellegua e tão pouco Obatalá, os quais tem forte influência sobre o jogo. Se assim fosse, não seria necessário lançar os búzios. A leitura esotérica está diretamente ligada à Orunla. O jogo de búzios é exclusivo dos Santeiros, praticantes e reconhecidamente de iniciados. Todos que não sejam Santeiros ou Pai de Santo e que façam isso são uma FARSA, uma MENTIRA ou um ENGODO. Estejam atentos.

 

PORQUE CONSULTAMOS OS BÚZIOS

Pelo mesmo princípio que procuramos um médico, e por norma só vamos quando estamos doentes ou para uma avaliação de rotina. Também só toma um remédio quem está adoentado. Por isso, fazer uma consulta de búzios, está na mesma perspetiva de alguém que deseja saber sobre o seu futuro. O futuro, é uma grande questão dos consultantes, no jogo de búzios, onde pode fazer "perguntas", cujas respostas são detalhadas, mas de uma maneira geral é uma orientação. Se assim não fosse, não haveria Santeiro pobre neste mundo, e o futuro a Deus pertence. Esta é uma frase sábia de alguém com muita sabedoria, que disse um dia.

O futuro depende muito dos nossos atos presentes. O exercício do nosso livre arbítrio é constante, nada está definitivamente marcado ou decidido. A partir do instante que exercemos uma vontade, podemos modificar a todo o momento o nosso futuro. Um dos exemplos é, se alguém fica doente e pensa que é o destino, então pode morrer. No entanto, se procurar um médico, tem muitas possibilidades de se curar. Assim o futuro foi alterado. É assim com tudo na vida, mas muitas pessoas pensam que o seu Oricha, anjo da guarda ou Deus, tem de saber de tudo, das suas necessidades, dos seus problemas e simplesmente resolvê-los. Antes assim fosse, mas mais uma vez o nosso livre arbítrio e o querer, tem que ser constantes no dia a dia. Não podemos esperar que as pessoas "adivinhem" ou saibam o que estamos a querer ou a precisar, se não falarmos ou comunicarmos. É evidente que se tem uma forma de fazê-lo, sempre podemos dizer o que pensamos e precisamos, mas de uma maneira correta, coerente e não agressiva.

Temos sempre duas hipóteses em cada situação que nos apresentam, o sim ou não. Porém, se não tentarmos, só resta o não. O jogo de búzios, costumo dizer que é uma ciência exata, ou sabemos do que falamos ou não. Não existe o meio-termo. A leitura é a expressão de uma realidade presente, e começa pela identificação do Orichá naquele momento. Cada Oricha corresponde a um estereotipo de caráter e uma personalidade do seu "filho". Temos que conhecer numa leitura dos búzios, que as características dos Orichás, em alguns casos têm variantes. Diferem determinadas características, se o "filho" for do sexo masculino ou feminino. Há que reconhecer uma situação um pouco complexa, e não poderia ser de outra forma. É um lançamento complexo, e não deve ser usado de forma leviana, por pessoas totalmente estranhas ao processo ou ainda por ignorantes que julgam conhecê-lo.

Em relação ainda a esta situação, é muito comum alguns iniciados ou até mesmo sacerdotes, não se preocuparem muito com o aperfeiçoamento e estudo mais detalhado deste jogo. A prática exaustiva, leva à perfeição. Um erro comum é atribuir a uma pessoa um determinado Orichá, e depois vir a verificar futuramente que não era o correto. Obviamente, quem lhe atribuiu este Orixá, não era competente, e este é um fator muitíssimo comum.

 

PARA UMA BOA LEITURA DE BÚZIOS

Existem três situações que são fundamentais num lançamento de búzios.

 

1. Devemos ter conhecimento e aprendizagem contínua.

2. Autorização, através de um ritual próprio, o qual é ministrado pelo Oloricha responsável, tendo o iniciado passado pelos rituais completos, com seriedade e merecimento.

3. Apresentarmos com seriedade o consultor e o consultante. Esses são pré-requisitos básicos para uma leitura honesta e imparcial.

4. Muito importante, quem "responde" no jogo de búzios é o Orichá do consultante, ele é quem determina a formação dos búzios para serem analisados, é uma espécie de permissão, para que a situação do seu filho seja exposta.

 

Okanbi

Com a bênção dos meus Orichas Aggayú e Yemanjá.

Para qualquer outra questão sobre este texto, pode-nos escrever para o correio eletrónico e darei mais explicações ou retirarei dúvidas.

 

 

 
Categoria: