Rua do Xisto nº 150,
4475-509 Nogueira Maia

(351) 913 089 277
geral@centroanastacia.com

Oddu: Eyioco Okana (2-1)

|
Escrito por Okanbi / Omo Aggayú

Oddu: Eyioco Okana (2-1)

ODDÚ: 

ELLIOKO OKANA ( 2 - 1 )

 

O REFRÃO DESTE ODúN DIZ:

“Ofa abure - flechas entre irmãos. Hoje seu irmão é seu inimigo.” 

 

SANTOS QUE FALAM EM ESTE ODúN: 

Ochosí, elegbará, los jimaguas, ogún, oshún, inle, olokún, obatalá, egún.

 

REZa DESTE ODÚN: 

Eyioco ten temiche moniguoloco telaroso temuran temitiche mono guoloco.

 

ESSÊNCIA DESTE ODÚN:

1 - bruxo - tudo o que tenha a haver com bruxarias e feitiçarias 
2 - justiça (tribunais, polícia, advogados, etc)


GENERALIDADES:

Há quem diga que é uma pessoa louca. Não deixe que o utilizem. Não gaste o seu dinheiro por gosto. Há guerras entre famílias por causa da religião. Evite uma operação por doença numa perna. Há uma viagem que proporciona fortuna. Há notícias de uma morte repentina de três pessoas. Quando sair não diga nunca a onde vai ou diga o contrário. Há um problema que se converterá num bem. Preste muita atenção o que diz esta letra, e ainda que venha em ire, há que fazer um ebbó. O conversador morre pela sua própria língua. Uma má sombra de um morto que lhe guarda rancor persegue-lhe. Cuidado com os convites porque vai passar um grande susto. Há que limpar a casa e dar de comer à porta da mesma. Há que fazer uma missa aos defuntos. Escasseia-se as coisas materiais ou comidas. Se pensa em realizar um viagem deve fazer um ebbó antes, para que tudo lhe sai bem. Há um êxito (algo que só espera uma confirmação) para vir e onde aguarda o êxito, mas deve fazer ebbó já que há obstáculos que impedem que receba o título ou cargo de importância. Corre o risco de ser vítima de uma tempestade ou relâmpago. Fala-se de um membro da família que já é defunto e não lhe deram um enterro final.

Há uma mulher membro da família com problemas para ter filhos. A mulher abandona o seu marido e o anjo da guarda do homem não autorizou essa união. Não consuma os animais de sacrifícios porque perde a sua validade. O homem é mulherengo e a mulher gosta muito de homens. Não vá para lugares onde não lhe tenham convidado porque passará uma vergonha ou uma agressão física. Há que dar de comer a Shangó galo e quiabo. Há risco de roubo de propriedades. Evite muito os répteis. Este odu envolve a morte, falta de coragem, disputa de heranças, coisas encadeadas ou contagiosas, contrariedades, tragédias, desobediências, amarrações com bruxaria, drogas lícitas e ilícitas. Fala-se de uma pessoa vingativa e matreira. Deve atender aos mortos. Fala-se de maldições. Há inconformidades e ambições. A mulher enamora um homem casado e criam-se problemas. 

Os mortos fazem armadilhas aos vivos. É a finalização do que construiu, não é destruidor mas se provoca o seu final, autodestrói-se. Torna-se uma pessoa soberba e pouco analítica, irreflexiva e egoísta. Ao avançar é capaz de destruir tudo o que construiu para não deixar nada, nem sequer uma herança. A mesma pessoa provoca o seu fim sem importar-se com o esforço que fez por construir, e isto relaciona-se com tudo, abandona amizades, não valoriza a sua família nem o emprego, ainda que se arrependa em seguida, coisa que nunca o dirá por não dar o braço a torcer.

 

web site de santeria cubana em portugal RECOMENDAÇÕES: 


Fazer ebbó rápido, colocar os colares e refrescá-los. Não enganar o marido. Veja o que come fora de casa. Se tem algo seu emprestado ou penhorado deve recuperá-lo. Os seus problemas provam mais que tudo, do seu carácter tão caprichoso. Se for para o campo, faça ebbó lá (é muito bom). Uma pedra na sua casa, vai trazer iré. Alguém o engana. A sua felicidade depende da sua própria administração e sabe apaziguar o seu carácter. Não permita que ninguém renegue na sua casa. Não conte os seus sonhos. Não discuta e nem levante a mão a ninguém, pelo seu próprio bem. 

Não odeie e nem recrimine os seus irmãos. Não empreste o que é seu para que não tenha problemas ao reclamá-lo, não renegue ou mal diga na sua casa e não permita que outros o façam. Deve atender os seus defuntos com luz, água e missas, deve dar mais calor à sua casa, há gente que quer que se mude da sua casa, seja mais reservado com as suas coisas, não discuta com ninguém, não recolha ninguém na sua casa porque entra criada e fica dona, cuide-se das pernas, tenha cuidado com pessoas que só querem saber como vive, se vive fora da lei o entregam a justiça, há uma possível viagem por uma criança doente, cuide-se de um familiar que lhe deseja mal. Faça um amuleto para afastar a má sorte, afaste-se das contrariedades e das desconfianças, trate de não discutir com as outras pessoas, evite os acidentes, tenha cuidado com as mordeduras de animais, não seja violento para não ir para a prisão, não levante a mão a outras pessoas, não guarde nada de nada porque se é algo ilegal, carregará a culpa, seja respeitador à sua companheira (o) para evitar tragédias por infidelidade ou maus tratos, deve evitar um inimigo alto e forte que quer destrui-lo, há êxito no campo ligado a agricultura, faça os seus trabalhos bem para que ganhe um posto de importância.

 

DOENÇAS RELACIONADAS COM O ODún:


Deformidade física, doenças contagiosas, dependia de drogas (medicamentos), problemas de brônquios, dormência na coluna vertebral, problemas de audição, dores no estômago, problemas renais, hipertensão arterial, derrame cerebral, impotência sexual, dores nas pernas e braços.

 

PROIBIÇÕES:

Não se come feijão de cor e nem grãos negros, não se ingere bebidas alcoólicas, não se come carne crua ou semi crua, não tenha gatos em casa. Não tenha coisas de gesso em casa, porque trazem-lhe má sorte. Não empreste as suas coisas, porque tenderá problemas ao reclamá-lo. 


PATAKI:

Havia uma pessoa que estando mal na vida procurou um trabalho no monte, numa quinta cujo dono era desconfiado e pensava que todos os seus trabalhadores o estavam a roubar. Uma noite o nosso homem desta história fazia uma rogação para aliviar a sua saúde, que não era boa e a enterrou no meio da quinta. O dono que estava a vigiar, pensou que estava a enterrar algo que ele havia roubado, e o mandou prender. Quando viram o estava enterrado, que era uma rogação, o dono teve que desculpar-se com o trabalhador, indemnizá-lo, e mesmo assim, não se livrou de ser acusado e preso. 

Eyioco tinha um amigo chamado Iré, quem sempre lhe dava bons conselhos, mas Eyioco não os seguia porque pensava que Iré só queria demonstrar-lhe que sabia mais que ele. Um dia Iré foi visitar Orula, e pediu-lhe que se aconselhasse a Eyioco. Orula chama Eyioco, e este disse-lhe que quando fosse caminhar se o chamassem, nunca devia voltar-se para trás. Eyioco não fez caso a este conselho, e só graças aos Meji, pode escapar de uma armadilha que tentaram fazer para matá-lo.

 

 

Okanbi
Com a bênção do meu Pai Aggayú e Yemanjá

Para qualquer outra questão sobre este texto, pode-nos escrever para o nosso correio eletrónico e darei mais explicações ou retirarei dúvidas.

 

 

 
 

Comentários   

#1 ADILSON ISIDRO SILVA 10-06-2016 12:34
Não entendi. Por que as "generalidades" , referentes ao odus são todas iguais? Podem enviar, pro meu e-mail, a resposta? Grato.
Citar

Comentar


Código de segurança
Atualizar

Categoria: